AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela faz o levantamento das necessidades dos 15 Municípios que a integram, para a aquisição conjunta de Equipamentos de Proteção Individual.

A CIMBSE REFORÇA MEDIDAS DE COMBATE AO COVID-19

Com vista a articular medidas de apoio e prevenção no combate ao Covid-19 a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela reuniu no passado dia 28 de março, nas instalações da Unidade de Saúde Local da Guarda, com a Presidente da ULS, Coordenadora Delegada de Saúde da Guarda, representante do CRSS, 2º CODIS e Gabinete de Crise da ULS.

Foram discutidos temas como os planos de contingência adotados nas IPSS, as linhas de apoio de crise, a implementação de espaços de acolhimento e de bancos de voluntários, aquisição de EPI’s, desinfeção periódica de espaços públicos.

Estas orientações visam garantir a proteção da saúde pública com uma gestão eficaz e eficiente dos recursos.

COMUNIDADE INTERMUNICIPAL DAS BEIRAS E SERRA DA ESTRELA ARTICULA MEDIDAS NO COMBATE AO COVID-19

Os 15 municípios que integram a CIMBSE realizaram, no dia 24, uma reunião por teleconferência, com vista à articulação de medidas conjuntas de contenção da propagação das infeções por covid-19 na região.

Acordou-se estabelecer procedimentos para a aquisição conjunta de equipamentos de proteção e de saúde, necessários ao combate à pandemia, e solicitar às autoridades competentes a efetiva submissão a controle sanitário de todas as pessoas que entrem no território pela fronteira de Vilar Formoso.

Decidiu-se também solicitar à autoridade de saúde competente que estabeleça obrigatoriedade de confinamento, por 14 dias, de qualquer pessoa que, por motivo não profissional, entre no território provindo do estrangeiro.

Os Municípios manifestaram o seu decidido empenho no combate à Covid-19 e a sua total abertura e disponibilidade dos meios municipais para colaborarem com as autoridades de saúde, de segurança e proteção.

Aldeias Históricas de Portugal são o primeiro território português a liderar a comunidade internacional de Destinos Turísticos Sustentáveis

As Aldeias Históricas de Portugal acabam de ganhar a liderança da comunidade internacional de Destinos Turísticos Sustentáveis. É a primeira vez que o Instituto de Turismo Responsável (ITR) atribui essa responsabilidade a Portugal.

Depois de, em novembro de 2018, terem recebido o certificado BIOSPHERE DESTINATION, tornando-se assim o primeiro destino em rede, no mundo, e o primeiro a nível nacional, a receber a distinção, as Aldeias Históricas de Portugal voltam a obter um importante reconhecimento por parte do Instituto de Turismo Responsável.

Com efeito, a organização internacional decidiu atribuir à rede das Aldeias Históricas de Portugal a liderança da comunidade internacional de Destinos Turísticos Sustentáveis. É a primeira vez que um destino português é eleito para este cargo. Até ao momento, a liderança da comunidade Biosphere estava a cargo da região de Thompson Okanagan, na Colúmbia Britânica. Situado no Canadá, este lugar foi eleito, em 2018 e 2019, como o Destino Mais Sustentável do Mundo.

Desta forma, as Aldeias Históricas de Portugal vão dinamizar o projeto a nível internacional e pôr em prática um plano integrado de ação para os 28 destinos que fazem parte desta rede.

Das várias ideias propostas pelas Aldeias Históricas de Portugal destacam-se a realização de uma ação de responsabilidade social conjunta, a promoção em rede junto dos operadores turísticos, a partilha de boas práticas entre as equipas, a transferência de conhecimento para os diversos destinos e o reforço do envolvimento das empresas do setor já certificadas em matéria de sustentabilidade no turismo.

O Instituto de Turismo Responsável (ITR) é uma organização internacional independente, que tem como propósito implementar ações e programas de desenvolvimento sustentável na indústria turística. Para isso, criou e desenvolveu o Sistema de Turismo Responsável (STR), que se traduz na Certificação BIOSPHERE Responsible Tourism. Para isso, segue as recomendações da Agenda 21 da ONU e as linhas de orientação de vários programas da OMT e da UNESCO, relativos ao desenvolvimento sustentável e à proteção do património cultural e natural.

A certificação surge como uma resposta para estabelecer os critérios necessários para se obter um comportamento sustentável no negócio internacional do Turismo. Assim, o STR promove atividades turísticas sustentáveis, de forma a que o Turismo responsável se torne num produto turístico.

A missão da comunidade Biosphere é tirar proveito das sinergias que podem ser criadas entre os vários destinos.

Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública e Secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local reúnem na sede da CIMBSE

Decorreu esta manhã, na sede da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, a reunião de trabalho do Conselho Intermunicipal que contou com a presença da Ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, e com o Secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local, Jorge Botelho.
Esta visita teve como objetivo o levantamento de necessidades, no âmbito do processo de descentralização, promovendo um trabalho colaborativo e de proximidade entre o Estado Central e o Poder Local.

Luís Tadeu sucede a Carlos Camelo na presidência da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela

Luís Tadeu Marques é o novo Presidente da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, assumindo o cargo, ontem dia 14 de janeiro, na cidade da Mêda, em reunião do Conselho Intermunicipal.

Esmeraldo Carvalhinho (Presidente da Câmara de Manteigas) e António Machado (Presidente da Câmara de Almeida) são os novos vice-presidentes desta Comunidade.

A nova comissão eleita vem, assim, substituir o autarca do Município de Seia, Carlos Camelo, que assegurava a presidência da CIM-BSE até ao final do ano passado, juntamente com os vice-presidentes Manuel Fonseca (Presidente da Câmara de Fornos de Algodres) e Rui Ventura (Presidente da Câmara de Pinhel).

Confirma-se assim a estratégia delineada no início deste mandato, em que os autarcas deliberaram que a presidência seria exercida de forma rotativa.

A CIM-BSE é constituída por 15 municípios: Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia e Trancoso.

Taxa de Atualização Tarifária 2020

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela [CIMBSE], enquanto Autoridade de Transportes , informa que por deliberação do Conselho Intermunicipal de 12 de novembro de 2019, foi aprovado o valor da Taxa de Atualização Tarifária a vigorar no ano de 2020, a aplicar no território da CIMBSE, no valor de 0,38%, de acordo com disposto no n.º 2, do Art.º 7.º, da Portaria n.º 298/2018, de 19 de novembro e na sequência da comunicação da AMT – Autoridade da Mobilidade e dos Transportes, de 25 de outubro de 2019.

CONCURSO FRONTEIRAS DA ESPERANÇA – MINHA TERRA,MEU FUTURO

O Centro de Estudos Ibéricos e a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE), vão lançar junto dos alunos das escolas da CIMBSE o Concurso “Fronteiras da Esperança: Minha Terra, Meu Futuro”, iniciativa que visa estimular a reflexão dos jovens estudantes sobre os recursos e as dinâmicas territoriais, levando-os a refletir sobre as perspetivas que se abrem para o futuro coletivo da região.

Ao explorar a relação dos jovens com o território, a iniciativa visa suscitar a investigação e a reinterpretação das potencialidades e dos recursos do território para estimular o debate donde possam emergir novas propostas e perspetivas de desenvolvimento em torno dos seguintes

temas:

  • Leituras e (re)interpretações do território: diagnósticos prospetivos;
  • Escrita, literatura e território: trabalhos de expressão literária;
  • Arte e território: trabalhos de expressão artística.

Destinado a estudantes dos estabelecimentos de ensino básico e secundário, de escolas do ensino público, privado ou cooperativo da CIM Beiras e Serra da Estrela, o concurso contempla vários apoios à participação e prémios, tendo em vista a concretização de uma Exposição Coletiva e uma Edição com os trabalhos vencedores.

Esta iniciativa insere-se no Programa de Combate ao Abandono Escolar Beiras e Serra da Estrela e é financiada pelo Centro 2020.

Regulamento e condições de participação em http://www.cei.pt/cms/fronteiras-da-esperanca-minha-terra-meu-futuro/

 

 

 

 

Beiras e Serra da Estrela dizem que regiões ganham com Ministério da Coesão Territorial

Fonte: Lusa

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela considerou hoje que as regiões mais desfavorecidas podem vir a ganhar com o recém-criado Ministério da Coesão Territorial, que será liderado por uma pessoa “de arregaçar mangas”.
O presidente da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) e da Câmara Municipal de Seia, Carlos Filipe Camelo (PS), disse hoje à agência Lusa que as regiões do interior “poderão, em muito, ganhar” com a escolha de Ana Abrunhosa para ministra do novo Ministério da Coesão Territorial e com a nova “organização do Governo”.
“Também pressupomos que pessoas como a doutora Ana Abrunhosa e o Ministério ligado à Coesão Territorial tenham ao seu dispor um conjunto de instrumentos, um conjunto de ferramentas, que lhes possibilite não só teorizar os caminhos que possam levar a um futuro mais risonho para estas regiões, do ponto de vista teórico, mas que possam ser traduzidos em termos de prática”, afirmou.
O autarca que lidera a CIMB-SE, que tem sede na Guarda, valorizou ainda a criação do Ministério da Coesão Territorial pela proximidade do quadro comunitário 2020-2030.
“Vem aí um novo desafio com a questão da Europa em termos do [quadro comunitário] 2020-2030, onde as realidades estão ligadas a especificidades muito próprias em termos das cidades com menos de 100 mil habitantes, com preocupações muito ligadas às mobilidades, às eficiências hídricas e energéticas”, sublinhou.
Carlos Filipe Camelo também se congratula com a decisão do primeiro-ministro em incluir nas pastas ministeriais “uma que tem a ver com a Coesão Territorial”.
“Não fossemos nós [CIM-BSE] um território de baixa densidade, com preocupações muito específicas, muito associadas a questões demográficas, despovoamento do território e envelhecimento da população, a que se juntam outras situações que levam ao esvaziamento de zonas como aquelas em que a CIM-BSE consegue abraçar”, justificou o autarca.
Sobre a nomeação da presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Ana Abrunhosa, para o cargo de ministra da Coesão Territorial, Carlos Filipe Camelo considera que foi “uma escolha assertiva”.

Execução de projetos da CIMBSE em bom ritmo

Fonte: altitudefm

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela já conseguiu executar metade dos projetos financiados pelo Pacto para o Desenvolvimento e a Coesão Territorial. O programa segue em bom ritmo, diz o 1º. Secretário Executivo António Ruas. Já houve uma reprogramação em julho, e, no final, poderá ser reforçado graças a uma boa taxa de desempenho.